Violência Contra Animais é Covardia e Crime, Denuncie. Amar Os Animais é Amar a Si Mesmo. Bem-vindos!

Castrar é Saudavel?


Castração em Cães e Gatos













A castração ainda é um grande tabu, uma prática que as pessoas
ainda veem como uma mera mutilação e injustiça com os cães.
Poucas pessoas sabem que a castração pode ser um meio de ajuda
nos problemas comportamentais dos nossos companheiros peludos,
e que não é só um meio de evitar filhotes numa casa onde existam
machos e fêmeas vivendo juntos.

O que é a castração?
A castração de cães e gatos é um procedimento cirúrgico, realizado
com anestesia geral, portanto sem dor, que consiste na retirada dos
testículos dos machos e dos ovários e útero das fêmeas.
Os avanços na medicina veterinária tem tornado esse procedimento
 muito seguro e com cortes pequenos, facilitando a cicatrização e
recuperação dos animais.

Qual é a melhor fase para se realizar a castração?
Levando em conta que as gatas entram em seu primeiro cio entre
quatro e seis, e as cadelas entre seis e doze meses de idade,
dependendo da raça ou do tamanho, a melhor fase da cirurgia
é antes do primeiro cio, ou seja, tanto em gatas quanto em cadelas,
entre quatro e seis meses de idade. Porém, mesmo aquelas fêmeas
que já tiveram cio ou estão mais velhas, devem ser castradas na
dependência de exames e avaliação do Médico Veterinário.
Anticoncepcional para animais Há diversos contraceptivos orais
para cães e gatos. Esses remédios têm sido usados a torto e a
direito para melhorar o comportamento dos bichos, mais do que
para prevenir gestações indesejadas. Poucos sabem que os
anticoncepcionais aumentam o risco de câncer e de infecções,
portanto, jamais os utilize para fins, digamos, educativos.
E, mesmo para impedir a gravidez, eles são uma alternativa
menos saudável do que a castração.

Mitos e verdades sobre castração
O que se diz por aí nem sempre é correto:


O animal sempre engorda?
Bem, na verdade ele tende a ficar um pouco mais sedentário,
mas uma alimentação light e estímulos para prática de exercício
físico previnem os quilos a mais.

Causa incontinência urinária?
Isso é muito raro. Só costuma ocorrer quando a castração é realizada
antes dos 4 meses de idade.

O animal fica frustrado?
Castrado ele não sente a menor necessidade de se acasalar.
E aí mesmo é que não se frustra só porque o dono deixou de lhe
arrumar um parceiro sexual.

A pele pode apresentar problemas?

Vamos ser francos: alguns estudos sugerem a relação entre castração
e problemas de pele, mas isso ainda não está bem claro. Adeus,
gravidez psicológica Sim, a cirurgia evita que a cadela e gata
produzem leite e se comportem como se estivessem esperando filhotes.
Principais problemas que surgem, caso o dono opte por não castrar:

Fêmeas: Podem desenvolver infecção uterina, piometra, e tumores
de mama, hormônios dependentes, que dependem desses hormônios
ovarianos. Quando é castrada, retira esse ovário e para de produzir
esse hormônio que estimula a desenvolver tumores de mama.

Machos: Podem desenvolver a hiperplasia de próstata, tumores
de próstata, distúrbios de comportamento como agressividade e
micção fora do lugar. " Quando castra o animal, retira esses
testículos, essa testosterona para de ser produzida e ele para de
marcar território.

O Que É Parvovirose ?












A parvovirose é uma enfermidade causada por vírus altamente
contagiosa e afeta,principalmente, os filhotes acarretando uma
alta taxa de mortalidade.
Animais adultos também podem ser afetados se não forem
vacinados.
Não é transmitida a seres humanos, pois é uma doença exclusiva
de cães (canídeos)

Seus sintomas podem ser:
Febre - Depressão - Perda de Apetite - Vómitos - Diarreia 
Hemorrágica - Desidratação - Choque e/ou Morte.

A severidade da doença pode variar desde uma infecção
inaparente,  até sintomas severos levando a óbito.
O músculo cardíaco pode ser afetado, sendo este, um dos
maiores motivos da morte dos cães com essa doença.
A transmissão ocorre pelas fezes de cães contaminados para
cães sadios.
O vírus pode ser transportado nas patas, nos pelos, por gaiolas
infectadas, pneus de carro, calçados ou pelas mãos humanas.
Como o vírus é muito resistente, ele pode permanecer viável
no meio ambiente por meses e na terra por mais tempo.
O reconhecimento precoce dos sintomas e o tratamento
imediato pode ser a diferença entre a sobrevivência e a morte
do cão.
Dessa forma, o tem como objetivo levantar a resistência,
fortalecer o organismo e evitar a desidratação.
Mas é importante manter a defesa do próprio organismo.
As vacinas de boa qualidade são o único método de proteção
para seu cão. Mas se ele já  está com a doença não adianta
vacina-lo.
O esquema de vacinação para a parvovirose  começa com
42 e 60 dias de idade e mais 2 reforços posteriores, somente
após essas 3 doses é que o cão estará protegido.
Vacinar seu cão é indispensável para que ele tenha uma vida
saudável e ele só pode sair a rua quando estiver totalmente
vacinado.
Se o seu cão está em tratamento para a parvovirose, siga as
seguintes orientações médicas:
corte a água, administre soro lentamente, traga-o  para o 
retorno na clinica e só ofereça comida quando for indicado.

Obesidade em Cães e Gatos

Obesidade, Fofinhos Sim Gordos Não.



Assim como no mundo dos humanos, a obesidade
é um problema grave para animais domésticos.
Ela atinge entre 25% e 40% dos cães e gatos em
todo mundo e constitui a doença que mais que
mais prevalece nessas espécies. As consequências
são osteoartrites, diabetes, problemas cardíacos e
dermatológicos, entre outros.

Como saber se o animal está obeso?
Quando está 15% acima do peso ideal.

Como deve ser a alimentação de um animal  sadio ?
Estabeleça uma rotina com horários fixos.
Não deixe o alimento à disposição do animal por
mais de 15 minutos a cada refeição. Se ele não comer,
retire a vasilha. Além disso, deixe-o fora da área de
preparação da alimentação e não permita que
presencie a refeição dos humanos.

Como calcular a porção ideal de ração?

Nas embalagem dos alimentos comerciais existe a
quantidade diária recomendada de acordo com o
porte e idade. Preste atenção se será preciso algum
ajuste (aumento ou redução de quantidade) em
função do nível de atividade física e condição
corporal (magro, peso ideal ou com excesso).
Caso as informações sobre calorias não estejam
contidas na embalagem, solicite ao fabricante por
meios dos serviços de atendimento ao consumidor.

Os petiscos devem ser abolidos?

Ofereça petiscos não calóricos e que supram a
necessidade de ansiedade do animal.
Ossinhos de couro vão bem.
Como não ceder a olhares, latidos e miados à beira
da mesa?
Cada concessão reforça comportamento indesejável.
Ofereça carinho e atenção como forma de recompensa,
em vez de comida.
E também brinquedos e passeios para o animal não
encontrar no alimento sua única fonte de distração
e prazer.

Como reduzir a obesidade?

No caso de pets diagnosticados como obesos,
aplicar rapidamente uma terapia integrada de
redução calórica com ingestão de alimentos,
apropriados (versões light ), com uma
rotina e atividade física e ausência de petiscos.

O Primeiro Passeio Com O Filhote, Só Vacinado

Primeiro Passeio, Só Com Vacinas Em Dia !




Nunca saia com seu filhote antes da 3ª dose das vacinas,
principalmente em locais onde tiver outros animais com,
praça, parques e jardins. Esses lugares podem estar
contaminados por algum animal doente que tenha passado
pelo local, principalmente se o seu cãozinho não estiver
com ciclo completo das vacinas.
Somente após a 3ª dose de vacina estará imunizado.
Após a 3ª dose aguarde pelo menos 15 dias até leva-lo
para passear pela 1ª vez. Muitos donos ficam ansiosos por
esse dia, aguarde um pouco, sem ansiedade para que seja
mais seguro e para que seu cãozinho seja saudável,
sem riscos de doenças. Esteja sempre atento às datas de
vacina e vermífugo.


Vacinas - múltipla (V8, V10 ou similar), tosse dos
canis, Antirrábica e Giardíase

 
Vacinas - múltipla (V8, V10 ou similar), tosse
dos canis, Antirrábica e Giardíase


- 45 a 60 dias:
1a. dose vacina múltipla
1a. dose vacina contra
Giárdia e vacina contra a
Tosse  Canis (dos Canis)
- 21 dias após a 1a. dose:
2a. dose vacina múltipla
2a. dose vacina contra
Giárdia
- 21 dias após a 2a. dose:
3a. dose vacina múltipla
- a partir de 4 meses de idade:
antirrábica. E após,
anualmente todas as vacinas
 acima.

    *Não esquecer, de manter em ordem a carteira de vacinação.

Algumas Viroses e Sintomas

Cinomose — uma virose grave, podendo causar tosse
intensa e diarreia. Os cães com cinomose, frequentemente
desenvolvem uma pneumonia fatal ou até mesmo
paralisia.

Hepatite — esse distúrbio grave, que é causado por um
vírus altamente infeccioso e afeta o fígado, pode se
desenvolver de forma extremamente rápida.

Parvovírus — esse vírus, que sobrevive no ambiente por
muitos meses, costuma afetar os filhotes, provocando uma
diarreia sanguinolenta frequentemente fatal.
 
Vírus da Parainfluenza — um vírus envolvido na etiologia
da “tosse dos canis”, que é altamente contagiosa e costuma
se desenvolver em ambientes onde existem muitos cães
em proximidade estreita.

Leptospirose – uma infecção bacteriana que é disseminada
por ratos, frequentemente através de água contaminada, e
causa insuficiência hepática/renal grave e também pode ser
transmitida dos cães para os seres humanos.
Todas essas vacinações podem ser aplicadas sob a forma de
uma única e pequena dose de injeção subcutânea.
Ocasionalmente, outras vacinações também são administradas,
conforme a necessidade.

Bom Saber:

Ao ser vacinado, o filhote recebe uma pequena dose de vírus
ou bactérias para estimular o sistema imunológico a produzir
 anticorpos contra esses agentes. Tais agentes virais ou
bacterianos geralmente estão mortos ou inativados e, por essa
razão, são incapazes de provocar doença.
Você pode notar que o filhote parece um pouco “amuado” ou
“apático” nas primeiras 24 horas após a aplicação da vacina.
Isso acontece porque o sistema imunológico do animal está
trabalhando para reagir à vacinação em si.
Tente não se preocupar, mantendo-o em repouso, e entre em
contato com seu veterinário em busca de orientação se você
achar que seu filhote não voltou ao normal depois de 24 horas.
 
A vacinação ajuda não só a manter seu filhote saudável, mas
também a evitar a disseminação de doenças, beneficiando a
população de cães domésticos como um todo.
Desde que a vacinação de cães domésticos foi introduzida pela
primeira vez, ela tem ajudado a diminuir drasticamente a
incidência dessas doenças. Contudo,o número de cães não
vacinados na população indica que alguns casos ainda poderão
ser observados hoje em dia; portanto, a vacinação de seu filhote
ainda é uma etapa importante.
Todos nós desejamos fazer o melhor para nossos animais de
estimação e, nesse sentido, a vacinação representa uma das
 medidas preventivas mais importantes que podemos tomar em
favor deles. Recomendamos que você fale com seu veterinário
em busca de mais informações sobre os programas de
vacinação de seu cão.

Fonte: Royal Canin

Catarata Em Cães




A catarata está entre os problemas de visão que
podem aparecer em cães de todas as idades.
Pode afetar animais jovens, a maioria dos
problemas se inicia aos dois (2)  anos de idade
muitas vezes tem a ver com a raça.
Animais que possuem pelos longos e
também focinho curto tendem a ter, desde
cedo problemas por causa do atrito repetitivo dos
pelos ou cabelos nos olhos e da incapacidade
de ocluir as pálpebras.
Atualmente, cães das raças, Shih Tsu, Lhasa Apso,
Pug, Buldogue, Poodle, Maltês e outros estão
na moda. Mas são animais,que em muitos casos,
necessitam de cirurgia plástica corretiva nas
pálpebras a fim de evitar úlceras, perfuração e  
olhos secos e conjuntivites.

Quais as doenças mais comuns?

Um mal corriqueiro é a catarata, que afeta em
média 60% dos cães. Mas há muitos problemas
oftalmológicos associados a doenças sistêmicas,
portanto o profissional deve ficar atento ao
exame dos olhos.

O que pode sinalizar doença ocular?

Os principais sintomas são secreção, opacidade,
dor, vermelhidão, coceira, aversão a luz, aumento
do globo ocular e cegueira. Preste atenção se o
animal passa a trombar com objetos e   cair de
escadas.
Também são sinais se ele para de brincar, muda
o comportamento, apresenta perda de apetite e
dificuldade de dormir.

Como deve ser feita a higiene dos olhos?

Somente com solução fisiológica que esteja bem
acondicionada e conservada em geladeira por um
período máximo de sete dias.
Sempre em temperatura ambiente, nunca gelada
nem quente.

Como o dono pode identificar esse problema antes
mesmo de consultar um veterinário?

Infelizmente, em muito casos, o proprietário só nota
quando o animal começa a trombar ou não brincar
e quando já há o esbranquiçamento dentro do olho.
Por incrível que pareça, são os banhistas e tosadores
os primeiros a identificar esses sinais

Por isso fique atento a todos os sinais.



Vestir os Pets, Bom ou Mau? Confira.


 














Frio pra cachorro
Vestir os pets com roupinhas quentes com intuito
de protegê-los do frio pode não ser uma boa idéia.
Os de pelagem longa e os cães mais gordinhos ficam naturalmente
confortáveis sem roupas. Cobri-los pode ocasionar hipertemia ,
quando a temperatura do corpo fica muito elevada.
Caso a raça seja de pelagem curta e o animal for magrinho,
você poderá notar alguns sinais de frio: ele treme , as patas e as
orelhas ficam geladinhas. Aí sim, apele para as vestimentas, de
preferência as de malha macia, feitas de algodão.
Para evitar dúvidas e garantir o conforto deles, coloque um edredom
ou uma manta quentinha na caminha.
Eles saberão quando o uso é necessário.

Mau hálito -Tártaro - Periodontite Animal


 Sabe quantos dentes o cachorro tem?

Os filhotes possuem 28 dentinhos de leite.
Isso mesmo, os filhotes possuem dentes de
leite que começam a cair por volta dos 3
meses e meio de idade.
Logo em seguida começam a aparecer os
dentes definitivos que na maioria das raças
são 42.
O cães costumam estar de “dentadura”
totalmente nova, ou seja com os dentes
definitivos totalmente posicionados por
volta dos 7 meses de idade.

-Fique sabendo que dentes limpos
garantem mais anos de vida para o seu
bichão.

A falta de escovação da boca do seu peludo
causa mais do que o famoso bafo-de-onça,
ela ajuda na proliferação de bactérias que
criam as placas bacterianas, o acúmulo de
tártaro (uma crosta amarelo-amarronzada
que aparece principalmente nos dentes
caninos e molares dos cães), e mais do que
isso, podem provocar doenças em outros
órgãos do corpo do nossos peludos, como
infecções no coração, doenças no fígado e
nos rins.

Tal como nós, nossos bichinhos podem
desenvolver doenças na boca, pela falta
da escovação e pela falta de tratamento
em um veterinário.
Algumas destas doenças são:

Gengivite: inflamação das
gengivas que pode se transformar em
periodontite. Os sintomas da gengivite
são sangramentos e vermelhidão da gengiva,
desconforto e dor, além de dificuldade em
mastigar.

Periodontite: mais séria
do que a gengivite, a periodontite é uma
infecção que pode se espalhar pelos tecidos
e pelos ossos em que as raízes dos dentes
se prendem. O comprometimento destes
ossos pode levar a perda dos dentes e é
irreversível.

-O tártaro acumulado nos dentes dos cães
podem causar infecções que podem levar
a morte.

Uma boca doente não se resume apenas a
um bafinho ruim de doer, nem mesmo se
resume apenas a boca do seu cão.
O coração, o fígado, os rins, o trato
intestinal e até as articulações de nossos
amigões podem ser afetados.
O tártaro e a infecção da boca contém
várias bactérias que podem se espalhar e
se desenvolver em outras partes do corpo.
Somente o cuidado regular dos dentes do
seu bichão e visitas periódicas ao
veterinário podem prevenir problemas
mais sérios.



Agosto é o mês para vacinar contra a raiva



No calendário de nosso país, Agosto
é o mês de vacinar contra a raiva.

A raiva e suas complicações no
homem e nos animais:
- É uma doença infecciosa aguda que
acomete mamíferos (homens e animais),
causada por um vírus que se multiplica
e se propaga - via nervos periféricos -
até o sistema nervoso central, de onde
passa para as glândulas salivares,
nas quais também se multiplica.

O prognóstico é fatal em todos os
casos e representa um sério problema
de saúde pública.
A doença expõe grande número de
pessoas e animais ao risco de
contaminação e os custos necessários
para o seu controle ou erradicação
são elevados.

-Transmissão da doença:
A forma mais comum de transmissão
é através de contato com saliva de
animal raivoso, seja por mordeduras
ou lambeduras de mucosa ou de pele
com solução de continuidade.
As arranhaduras também têm
potencial de contaminação, devido à
salivação intensa dos animais doentes,
que muitas vezes contaminam suas
patas.
O contato indireto não é considerado
veículo de transmissão, mas há pouca
discussão a este respeito na
literatura.
A fonte de infecção é o animal infectado
pelo vírus rábico.
Em áreas urbanas, é principalmente o
cão (quase 85% dos casos),seguido do
gato. Em áreas rurais, além de cães e
gatos, morcegos, macacos e mamíferos
domésticos como:
bovinos,eqüinos,suínos,caprinos,
ovinos.
Os animais silvestres são os
reservatórios naturais para animais
domésticos.

-Período de incubação



No homem, varia de 2 a 10 semanas,
em média 45 dias. Porém, há relato na
literatura mencionando um período de
incubação de até 6 anos. Depende da
quantidade de vírus inoculado,
proximidade do sistema nervoso central
e gravidade da lesão.
Em animais silvestres este período
é bastante variável,não havendo
definição clara para a grande maioria
deles.

-Período de transmissibilidade
Ocorre antes do aparecimento dos
sintomas e durante o período da doença.
No cão e gato este período se inicia
de 5 a 3 dias antes dos sintomas.
No homem de 2 a 4 dias.

-Tratamento
Uma vez instalada a doença não há
tratamento específico,e a letalidade
é de 100% nos animais.O tratamento
paliativo visa minimizar o sofrimento
do paciente e dos animais.

-O que fazer quando mordido por
um animal suspeito:
1-Limpeza do local com água e sabão
e desinfecção com álcool ou soluções
iodadas,imediatamente após a agressão.


2-Quando o animal agressor for cão ou
gato deve-se observá-lo durante 10 dias
para identificar qualquer sintoma
sugestivo de raiva; se possível,o animal
suspeito deve ser sacrificado e sua
cabeça ou seu cérebro deve ser enviado
para o Instituto Pasteur,em gelo, para
o exame laboratorial.


Procure orientação médica,nos postos
de atendimento.Pronto-Socorros,Centros
de Saúde.

*Fonte Instituto Pasteur

Todos os animais independente de raça
devem ser vacinados.
Leia mais postagem aqui no blog,sobre
vacinação.